segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Michael Apted - The Cronicles of Nárnia: The Voyage of the Dawn Treader

Como começar? 
C.S.Lewis foi muito inteligente ao criar essa obra composta de 7 livros que trás mensagens valiosas para a linguagem das crianças, mas que consegue alcançar os corações dos mais velhos. Porém, não vou comentar sobre os livros, mas sim sobre o terceiro filme lançado no ano de 2010. 

                                           


As Crônicas de Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada
Gênero: Aventura
Diretor: Michael Apted
Ano: 2010
Distribuidora: Fox

Sinopse: Lúcia (Georgie Henley), Edmundo (Skandr Keynes) e Eustáquio (Will Poulter) retornam para Nárnia onde se encontram com príncipe Caspian (Ben Barnes), agora rei, e outros amigos de aventuras passadas. Para encontrar os Sete Fidalgos Desaparecidos de Telmar, ele começam uma nova aventura a bordo do navio Peregrino da Alvorada, onde irão encarar guerreiros, dragões, anões e tritões. Mais uma vez, os jovens colocarão sua coragem e convicções à prova, antes que consigam chegar no limite do mundo.



OPINIÃO: A Viagem do Peregrino da Alvorada já começou a ser produzido com muito escândalo. Escândalo quando foi dada  a notícia de que ele não seria produzido pela Disney, mas sim pela FOX. Acredito que muitos devem ter duvidado que a nova empresa teria a capacidade de fazer algo no tamanho dos títulos anteriores, produzidos pela Disney. 

Mas o filme foi ao cinema, e comoveu a muitos. Para os críticos não foi um ótimo filme, mas para aqueles que admiram a obra original (os livros) e gostaram dos dois primeiros filmes, A Viagem do Peregrino da Alvorada foi um excelente fim da história da vida dos irmão Lúcia, Edmundo, Suzana e Pedro. 
Nesse terceiro filme, apenas Lúcia e Edmundo vão para Nárnia. Isso porque Pedro e Suzana não podem mais entrar lá, pois já cresceram. Então, os dois irmãos mais novos vão para Nárnia através de um quadro que está no quarto deles, que fica na casa de seu chato e emburrado primo Eustáquio. Acaba que os três embarcam nesse quadro, e chegam nos mares de Nárnia. 
Logo quando chegam, são recebidos pelo Rei Caspian. Há uma alegria vista nos olhos de Lúcia e Edmundo, pois eles amam estar em Nárnia. Já Eustáquio... Ele detestou estar lá. Esperneou como uma criancinha.
O desafio que deve ser vencido nesse filme, na minha opinião foi o mais difícil. Todos tinham que achar os sete fidalgos. Ou seja, existe sete lordes que carregam consigo  cada um uma espada. E cada espada está espalhada em ilhas misteriosas e perigosas. As sete espadas postas juntos sobre a Mesa de Aslam, trará o equilíbrio de volta à Nárnia. 
O problema é que cada um irá passar por tentações. Na ilha eles são provados e tentados por suas fraquezas. Por exemplo: Lúcia tem a fraqueza de querer ser bonita como à irmã Suzana e acaba quase caindo nisso. Já Edmundo quer ser poderoso e maior que todos. 
Cada um amadureceu e venceu as fraquezas. Eustáquio amadureceu também, e foi transformado após ter virado dragão. Conseguiu vencer os medos, e enxergou o verdadeiro significado de Nárnia. 

                                        

O filme foi ótimo. Em um tempo bom, o diretor conseguiu passar o que ele queria sem exageros e com uma simplicidade admirável. 
Como é um filme para a família, fiquei satisfeito em ver que havia bastante cenas claras. Minha mãe reclama dos filmes escuros, e esse, mesmo até nas cenas noturnas, foi muito bom visualmente. 
Mesmo não sendo perito em efeitos visuais, digo que gostei de todos. 
As cenas de ação foram ótimas. 
Percebi que o ator que interpreta o Rei Caspian amadureceu muito nesse terceiro filme. Estava mais firme e conseguiu interpretar bem o papel de um líder. Aliás, ele tem uma semelhança física com um ator brasileiro, o Rodrigo Santoro. 
Fiquei muito feliz quando vi que os roteiristas não deixaram de fora a Suzana e o Pedro. Ambos fizeram rápidas aparições no filme, e foi muito bom revê-los. 



E assim termina essa faze linda de As Crônicas de Nárnia. Foi bom ver os irmãos Pevensie crescerem do primeiro filme para o terceiro. Foi bom acompanhar a história de Nárnia e captar a mensagem que C.S.Lewis quis passar ao criar esses livros. 

Ainda há quatro livros que não foram adaptados. Dizem que o próximo será O Sobrinho do Mago, que trata da criação de Nárnia. Eu já li esse livro, e acho que ficará um ótimo filme. Ficarei na torcida pelo lançamento do mesmo. 


                                           



É isso.

Tiago Vieira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário